Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Sobre as Influências no Emagrecimento

Hoje vou começar o dia falando sobre influências no processo de emagrecimento, tudo o que eu escrever aqui é baseado na minha vivência e no que penso sobre o assunto.

Ontem eu estava conversando com uma amiga no trabalho e ela me disse que se a gente tem uma convivência em meio a pessoas gordinhas, temos a tendência a engordar. E que o contrário também devia ser verdadeiro.

Para que vocês entendam, essa minha amiga é bem magrinha. Tem 1,67 m e 57 kg muito bem distribuídos. Tem a barriga chapada e durinha, bumbum grande, pernas torneadas. E ainda assim está insatisfeita com os seus culotes... Ela malha todos os dias, faz musculação e aulas de RPM, toma proteína, carboidrato, termogênico, e tudo mais que for possível. Faz drenagem linfática uma vez por semana e se alimenta muito bem. Ela é um exemplo pra mim, de força de vontade e disciplina, para malhar ela acorda às 5h, pois mora longe do trabalho e da academia.

Eu devia seguir esse exemplo, mas não consigo. Ela, apesar de ser exemplo, não é motivação pra mim. Tenho tentado descobrir porque não me motivo com as suas conquistas, mas ainda não consegui entender. Na verdade, tem algo nela que me machuca. Sempre que a gente entra no banheiro ela faz questão de levantar a blusa e dizer: "olha, a minha barriga já está ficando com gominhos...", ou então "Olha a minha bunda, já tá durinha e mais redondinha...". Sei que não é por maldade, mas fico triste em saber que não posso fazer a mesma coisa na frente do espelho. Talvez por isso eu não consiga me motivar com ela, pela forma com que ela se expressa... Tentando sempre me mostrar que está melhor que eu, que na sua última avaliação física percebeu que diminuiu o percentual de gordura para 18%, que perdeu não sei quantos centímetros de cintura, etc, etc, etc.

E aí entra a questão da influência. Pra mim, isso não funciona. Tenho percebido que o processo de emagrecimento tem que começar de dentro pra fora e não o contrário. Pra mim não resolver ter alguém como essa minha amiga pegando na minha mão e dizendo o que eu tenho que fazer, tentando me impulsionar. No meu caso, estou percebendo que enquanto EU não tiver certeza do que eu quero e não acreditar em mim mesma, nada vai mudar.

Como disse, meu namorado também é rato de academia, tem um corpo lindo, com quase nada de gordura. E nem isso me motiva a malhar, a pegar firme, mudar a alimentação, etc. Deveria, mas não motiva. O processo de emagrecimento pra mim é muito mais um auto-conhecimento e auto-reconhecimento de si próprio, corpo e mente. Eu sei, por exemplo, que não tenho a genética a meu favor, ou seja, sei que se eu comer chocolates todos os dias eu vou ter muita celulite, vou ficar inchada e com gordura localizada. Não posso me dar ao luxo de acreditar que eu posso, porque eu não posso. Tenho que entender que eu sou assim e que existem pessoas que não são. É preciso sim passar vontade às vezes de colocar um doce na boca, isso não vai significar passar fome, mas preciso aprender a ser feliz desse jeito, sem ter que depender da comida.

Pra mim, a maior influência que pode existir em um processo de emagrecimento é a influência própria, através de um processo de transformação interna. Por isso comecei o blog, pois somente refletindo todos os dias sobre o assunto eu acredito que vou conseguir incorporar a mudança aos poucos e conseguir mudar meus hábitos verdadeiramente, não por influência de alguém, mas porque eu quero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário